Rondônia em Ação

Parceria traça estratégias para prevenir DST Aids nos festejos

Campanha será desenvolvida durante desfile das escolas de samba, blocos, e banda.

Representantes do Departamento de Políticas Públicas para a Juventude, Fundação Cultural e Secretaria Municipal de Saúde vêm discutindo estratégias para trabalhar durante o carnaval na orientação de prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis, com foco especial sobre a população jovem. O trabalho terá início dia 17, com a agenda de apresentação dos blocos e irá até o final do reinado de Momo.


Na reunião inicial, ocorrida na manhã desta sexta-feira (27), na Semusa, cada ente apresentou sua proposta e ouviu o que o outro poderá fazer para garantir o sucesso da proposta para a festa, que este ano tem como tema “Carnaval da Paz”.

Participaram do encontro, pelo Depjuv, Raildo Sales de Andrade (diretor), Geovana Kisner, Lucius Carvalho e William Furtado; pela Semusa, Caroline Araújo (chefe da Divisão DST), Valdir Alves do Nascimento (gerente de Vigilância Epidemiológica) e Nilda Souza (DST-Aids); e Eudes Claudino, diretor de Cultura da Funcultural.


Outros encontros estão previstos até estar tudo definitivamente costurado para a campanha, que deverá ter a distribuição de 4 mil preservativos por noite, orientações sobre drogas e álcool, doenças sexualmente transmissíveis, além de informações sobre a dengue, zika virus e chikungunya.


A proposta da Depjuv, especialmente direcionada aos jovens, tem como tema “prevenido é mais gostoso”. O lema será 'carnaval protegido tem gostinho especial'. Para Eudes Claudino, “o importante é a prevenção dos foliões contra as doenças sexuais e termos um carnaval seguro, como quer o prefeito dr Hildon Chaves”. “Como todos, queremos que nossas estratégias contribuam para os jovens se sentirem seguros quanto à prevenção através da educação e da orientação”, disse Lucius Carvalho.


Pela Semusa, Nilda informou será feita a distribuição de preservativos masculino feminino, “além de orientações sobre riscos e como prevenir doenças sexualmente transmissíveis, aprovetando a grande concentração de pessoas. Tudo para se evitar que se contraiam doenças ou se chegue à gravidez indesejada”.