Rondônia em Ação

Principal agência do Banco do Brasil fecha as portas para a população

E esta medida deve ser colocada em prática já no dia 18 de março.

A Agência Porto Velho, localizada na avenida Dom Pedro II, no Centro
de Porto Velho, e principal agência do Banco do Brasil em Rondônia,
não vai mais fazer o atendimento ao grande público, apenas aos
chamados clientes 'empresariais'.

Foi este o anúncio feito pela Superintendência do BB em Rondônia há
alguns dias, como parte do processo de reestruturação que vem sendo
implantado pelo banco em todo o país. E esta medida, segundo a
SuperBB, deve ser colocada em prática já no dia 18 de março.

Com isso, a agência, que é a maior do Estado, vai atender somente
contas de pessoas jurídicas, e 'expulsar' aproximadamente 18 mil
clientes para as agências da periferia da Capital, especialmente das
zonas Norte e Leste.

"Ou seja, o atendimento ao público em geral, que já era precário, vai
ficar ainda pior, o que comprova o completo desprezo que o banco tem
com seus clientes e usuários, muitos deles clientes históricos, que
possuem conta na agência do Centro há quase 30 anos. É um desrespeito
sem precedentes, pois essa medida, a exemplo das demais tomadas pelos
bancos, foi decidida sem o diálogo com os trabalhadores, os
representantes sindicais e, muito menos, com as milhares de pessoas
que tem contas ou utilizam os serviços da agência", avalia Cleiton dos
Santos, diretor de Formação Política e Sindical do Sindicato dos
Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO).

O SEEB destaca ainda que essa iniciativa vai ampliar a precariedade do
atendimento nas agências da zona Norte e Leste de Porto Velho, que vão
'receber' a clientela da agência Porto Velho futuramente.

"Essas agências são pequenas e já vivem superlotadas, e o número de
funcionários para fazer esse atendimento, que também já é
insuficiente, vai ficar ainda mais comprometido com uma demanda ainda
mais desumana. Ou seja, essa reestruturação do banco só vai trazer
transtornos para todos, usuários, clientes e os funcionários do BB,
que devido à sobrecarga de trabalho, aliada à pressão do dia a dia
encontrada no atendimento, só tendem a adoecer com maior freqüência, e
isso não podemos admitir", conclui Cleiton.

PLENÁRIA

Para discutir esta problemática que foi imposta 'goela abaixo' pela
direção nacional do banco público, O Sindicato convoca os funcionários
do Banco do Brasil a participar de uma plenária que será realizada na
tarde desta quinta-feira, 23/2, na sede da entidade (Gonçalves Dias,
110, ao lado da Só Cópias, no Centro), com primeira chamada às 17
horas e segunda chamada às 17h30.

217 AGÊNCIAS FECHADAS DESDE O ANÚNCIO

O Banco do Brasil já fechou 217 das 402 agências bancárias previstas
para encerrar as atividades até março deste ano. A redução da
estrutura física de atendimento faz parte do plano de reestruturação
anunciado pelo banco em novembro do ano passado. Um mês antes, a
instituição havia comunicado o fechamento de 51 agências.

A reestruturação também prevê a transformação de 379 agências em
postos de atendimento e a extinção de 31 superintendências regionais.